Somos co-autores do nosso destino. Mude o seu AGORA: mitologia@esdc.com.br .

luciene felix lamy

luciene felix lamy

Registros da 1ª Turma

Curso de Mitologia Greco-Romana na Galleria Borghese



Confira abaixo, algumas imagens de nosso Curso de Mitologia Greco-Romana na Galleria Borghese, dia 5 de setembro de 2013, em Roma. Para os que estavam na expectativa, mais curiosos que Pandora diante da famosa “Caixa”, eis os registros de nossas aventuras.




Berço da cultura Ocidental, a Itália continua arrebatadora, sempre surpreendendo mesmo. Destino perfeito para o turismo, seja cultural, para compras ou contemplativo, de lazer, visando o puro ócio mesmo.

A magia de viajar para participar de um Curso num lugar privilegiadíssimo como esse é que realizamos TODAS essas propostas simultaneamente! Reunimos cultura (de elevada erudição!), lazer e consumo também, de um Bem inestimável, imperecível e da melhor qualidade, para nossa Alma!









Esse é o portal da Villa Borghese, onde fica o Parque que abriga o Museo/Galleria de mesmo nome. A águia, ave-símbolo de Zeus (Júpiter/Jove), presente em toda parte, é Brasão da família. 


Desejando "Boas Vindas" aos alunos diante do par de cornos da cabra Almathéa, que amamentou Zeus (Júpiter, Jove), quando foi escondido de seu pai, Chronos (Saturno). O ordenador do Cosmos, Senhor do Olimpo, transformou os chifres de Almathéa em cornucópias, símbolo de abundância. 


Vamos à experiência única, inesquecível! O grupo é seletíssimo:
"QUOD LICET JOVI NON LICET BOVI"




Na foto acima, da esquerda para a direita: Luciana Migliaccio, Sandra Regina Gorski, Ana Laura Migliaccio, Kika Repetto, Consuelo Blocker, Luciene Felix Lamy (eu), Luciana Rodrigues, Cassandra Martins Gulin e Bia Lombardi. Contamos também com a presença do Christian (marido da Luciana Migliaccio) e do filhinho deles, Luca Marzilla.









Durante o percurso na Borghese, “o museu dos museus”, vamos sendo transportados para outra dimensão, a gente vê, sente, flutua entre os deuses e o melhor, ouvindo os relatos por trás das impressionantes esculturas de Antonio Canova e Gian Lorenzo Bernini, dentre outros.

Ensino que o mito por trás desse estupendo Bernini, produzido entre 1621/22, “O rapto de Prosérpina” (que se chama Perséfone na mitologia grega) explica o ciclo das estações do ano, revelando uma das maiores dores humanas que no paganismo, diferente do cristianismo, é a dor da mãe que perde a filha, raptada pelo poderoso e riquíssimo deus do reino dos mortos, o Hades (Plutão).






Também explico como o irmão, Zeus o convenceu a “aceitar” presidir o reino do subterrâneo e porque o Hades é tão rico! Ele fará da jovem Perséfone, filha da deusa da agricultura, Deméter (Ceres), sua rainha. Acompanhando-os, está Cérbero, o atento cão de três cabeças que vigia para que os mortos não saiam e os vivos não entrem no reino de Hades.

A única divindade com acesso livre no Hades é Hermes (Mercúrio), mensageiro dos deuses que preside as comunicações, a mente, o raciocínio e é também protetor dos comerciantes e dos ladrões. Somente em pensamento entramos e saímos quando queremos do mundo subterrâneo.



Afresco gigantesco com cenáculo da Ilíada de Homero: Zeus/Júpiter o senhor do Olimpo está iluminado, ao centro, rodeado de divindades envolvidas na guerra de Tróia (Ílion) e, logo abaixo, os heróis Heitor, Aquiles, Pátroclo, Ajax e outros. O que desencadeou a guerra mais famosa da humanidade?







A maior concentração de Caravaggios por metro quadrado, “azaluna pira”!






Eis a Sala de Sileno, que reina no centro do afresco. Nessa imagem, um fauno (pã). Foi por tê-lo acolhido a Sileno que o rei Midas ganhou de Dioniso (Bacco) o presente de pedir o que quisesse. Ele quis transformar em ouro tudo o que tocasse. Tudo? Tudinho: até a filha, ao abraçá-la, até mesmo o que pegava para comer... Bem, claro que isso não vai acabar nada bem. Mas vou parar por aqui, rsrs.







Aqui, a Sala de nossa anfitriã, Paolina Borghese Bonaparte, a magnífica Vênus Victrix por Antonio Canova (sim, o original está mesmo no Louvre). No site da Galleria lemos que: “No final do século XVII a família Borghese teria uma coleção de cerca de 800 pinturas e uma das mais famosas coleções de antiguidades em Roma, além de um enorme mercado imobiliário. Foi precisamente a coleção arqueológica que aumentou o interesse de Napoleão Bonaparte, cuja irmã, Paolina (1780-1825) se casou com o Príncipe Camillo Borghese (1775-1832)”.

Convidei pessoalmente a atual princesa Camilla Borghese, apreciadora de meus artigos de Filosofia e Mitologia Greco-Romana, que lê quando está no Brasil.

Muito solícita e distinta, ela pediu que a telefonasse quando chegasse a Roma, se dispondo a ajudar no que eu precisasse. Devido a compromissos assumidos nesse horário, não pôde participar.



Bem, o Amor é tema recorrente em nossas vidas e, portanto, nos mitos. 





Depois de uma boa base (desde a evolução do homem primitivo com interdito de incesto, enterro dos mortos, descoberta do fogo, cultivo da terra, domesticação do cavalo e etc.), passo às Salas e vou contando as estórias: a escultura de Apolo e Dafne fala da origem do amor não correspondido e explica que os louros que coroam a vitória foram adotados pelo deus Apolo em homenagem a ninfa Dafne, que por ter recebido de Eros (Cupido) uma flechada de bronze (e não de ouro!) se recusou a amá-lo!

E vimos também um pouco da escultura do Hermafrodito (só as costas e o bumbum), que estava interditado... Mas aqui, uma imagem e a lembrança do mito que narra sua origem: o da ninfa Sálmacis que apaixonada pelo belo rapaz e rejeitada, esperou ele entrar no rio e mergulhou em seguida agarrando-o com toda força, pedindo aos deuses que os fundissem num só.



Conta-se também que é filho de Hermes (Mercúrio) com Afrodite (Vênus), que conquistou a deusa do amor e da beleza quando disse que adoraria estar no lugar de Ares (Marte) quando eles foram flagrados pelo marido traído, Hefestos (Vulcano). A deusa sentiu-se envaidecida com esse comentário e concebeu o Hermafrodito com o mensageiro dos deuses.





Aqui, Enéas foge de Tróia carregando nas costas, seu pai, Anchises, já idoso. Atrás deles, seu filhinho Ascânio. Essa obra retrata também as três idades do homem: infância, maturidade e velhice. Dessa linhagem nascerão os gêmeos Rômulo e Remo (reparem eles no detalhe, nas mãos de Anchises), fundadores de Roma.

O mito diz ainda que Anchises gerou Enéas com a própria deusa Afrodite!!!













Cassandra assina a Lista de Presença...

Kika ganha sua Apostila...

Sandra recebe o Certificado e...

Bia, toda orgulhosa, exibe o seu: agora, sim, prêmio totalmente entregue! Pode providenciar a moldura, Bia. 


Mas, calma que a “experiência única, exclusiva e inesquecível” ainda não acabou, tem mais...!







Agora é a hora de passearmos pelas alamedas do Parque da Villa Borghese:
 uma paradinha aqui e ali porque tudo é lindo e convidativo mesmo.


















Poeta alemão, Johann Wolfgang Von Goethe (1749-1832).

Fausto e Mefistófeles.









Já estávamos sendo aguardados, nossa mesa reservada: tratamento VIP!

Consuelo Blocker e Bia Lombardi Barion

A linda Kika Repetto: Leonina com Vênus em Virgem




Fomos recebidos com um prosecco de “Boas Vindas”!






E petiscos enquanto íamos escolhendo os pratos: saladas, pastas e outras opções leves e gostosas.







Luciana Rodrigues, querida amiga do Salotto que também mora em Roma!


Enquanto almoçávamos, aproveitei para contar mais dois mitos: o de Eros & Psiquê que fala qual é a condição “sine qua non” para o amor e o da Medicina, que abriga na linhagem o deus da saúde, da profecia e da harmonia, Apolo (Hélios), o centauro Quíron e Asclépio (Esculápio), que é de quem descende o “Pai da Medicina”, Hipócrates




Bem ao lado do restaurante Casina Del Lago, esse espetáculo! 

Asclépio, que se chama Esculápio na mitologia romana, ladeado por suas filhas Higea e Panacea.



Então, conseguiram traduzir direitinho o frontispício? É um grego bem arcaico e quem participou já sabe! Ele porta o caduceu, envolvido por duas serpentes.










Casal de apaixonados desfruta a paz do lado de Asclépio.


Christian e seu filho, Luca Marzilla, foram espertos em aproveitar para um passeio completo!


"Azamiga" curitibanas: Sandra e Cassandra!

Ana Laura, Cassandra e Kika Repetto.


Alegria contagiante da iluminada Consuelo com Kika.



E, em Roma, finalizamos assim essa nossa experiência: com uma dose de injeção da mais pura apolínea medicina, harmonizando tanto nossos corpos quanto nossas Almas. Mas... Opa! Teve uma canja!!!


No dia seguinte, a narrativa das aventuras do herói Perseu, filho de Zeus com a princesa Danae, que foi fecundada com uma chuva de... Ouro!!!

É aqui, na nossa Florença, que Perseu recebe a todos, trajando as sandálias aladas de Hermes (Mercúrio), o elmo e a espada forjada pelo ferreiro divino Hefestos (Vulcano) e ostentando com imponência a cabeça da Medusa. Tudo muito bem explicadinho, nos mínimos detalhes!!!

Foi MUITA, muita informação em pouquíssimo tempo. Com uma didática bem simples, expliquei a transição da MAGIA para o MITO, do mito para o RITO e do rito para a RELIGIÃO de forma clara e inesquecível: a lua é nova (magia!) porque está em “hierogamós” (união sagrada) com o sol. Esse é o mito, a “leitura” que os povos antigos contavam. E nós nos casamos até hoje, com aliança, testemunhas e tudo para atualizar, através desse rito, o mito que nos religa a magia. Ah, Bendita Lua Nova!!!

Tudo isso está registrado na apostila (mais de 60 páginas!), preparada especialmente para a ocasião, ou seja, guardamos o conhecimento na Alma e trouxemos também para casa! 



C O B E R T U R A   D O   C U R S O   N A   W E B

AQUI, por Consuelo Blocker.
AQUI, por Bia Lombardi.
AQUI o atendimento de nossa Agente de Viagens, Sra. Lourdes Reis, por Bia Lombardi.


M A I S   R O M A   por   B I A   L O M B A R D I

AQUI, o primeiro dia de suas aventuras em Roma.
AQUI, Roma Chic.
AQUI, a Roma Sagrada.
AQUI, último post da Bia em Roma.





Um breve vídeo sobre nosso Curso: